Notícias

Polícia prende suspeito de furtar bicicleta dos racistas que acusaram Matheus Ribeiro

Foto: Reprodução

A Polícia Civil prendeu no bairro de Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (17), Igor Martins Pinheiro, homem suspeito de ter roubado a bicicleta elétrica de Tomás Oliveira e Mariana Spinelli. No fim de semana, viralizou nas redes sociais um vídeo em que o casal acusa pelo roubo Matheus Ribeiro, um jovem negro.

Segundo a polícia, o verdadeiro responsável pelo roubo da bicicleta é branco, tem 22 anos, e possui 28 anotações criminais em seu Relatório de Vida Pregressa (RVP), com 14 sendo por furto de bicicletas. A prisão de Igor, conhecido como “Lorão”, foi possível depois que a polícia solicitou imagens de câmeras de circuito de monitoramento.

Na última quarta-feira (16), Tomás Oliveira e Mariana Spinelli prestaram depoimento na 4ª Delegacia de Polícia (DP), localizada no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro. Os dois foram ouvidos como parte das investigações sobre o crime de calúnia que teriam cometido ao acusarem Matheus Ribeiro de roubar a bicicleta elétrica.

Racismo no Leblon (RJ): Identificado pela polícia, | Direitos Humanos

Reprodução

Relembre

O instrutor de surfe Matheus Ribeiro, de 22 anos, morador da Maré, na Zona Norte do Rio, estava em sua bicicleta elétrica diante do Shopping Leblon, no último sábado (12), aguardando a namorada. Tomás e Mariana se aproximaram dele e disseram que a bicicleta do jovem negro era igual à bicicleta da professora de dança que havia sido roubada.

Matheus contou que tentou provar que a bicicleta era sua, ao mostrar fotos antigas no celular com o veículo. Sem acreditar, Tomás se aproximou e mexeu no cadeado da bicicleta de Matheus. Nesse momento, o designer constatou que a bicicleta não era a de sua namorada.

Ao portal UOL, Matheus contou que comprou a bicicleta elétrica por R$ 4.500 há quatro meses. Ele disse também que aguardava a namorada, que trabalha como vendedora no Shopping Leblon e havia ido a uma loja para pegar uma peça de roupa, quando foi abordado pelo casal. “Fiquei parado em torno de 15 minutos e eles chegaram falando ‘essa bicicleta é minha'”, disse Matheus.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

To Top